Caminhos...

Do ponto de partida ao ponto final se traça um caminho. Este pode ser curto, longo, sofrido ou mesmo tranqüilo. Nunca saberemos qual caminho realmente tomamos à não ser no ponto de chegada. Assim inicio esse blog, timidamente e sem saber aonde vou chegar. Aqui vou falar de tudo um pouco: da arquitetura, do urbanismo, da literatura, da arte, da vida, da cultura, da música, do cinema e até do futebol. “Tudo ao mesmo tempo”, ou quase tudo, em tempos diferentes. Mas o importante é o caminho, sempre. Caminhar é preciso.

Comentários

João Batista disse…
Fernando disse..."Nunca saberemos qual caminho realmente tomamos à não ser no ponto de chegada."

Talvez não, Fernando, talvez sim. Mesmo que aquele caminho escuro, tenebroso, cercado de arvores secas de ambos os lados, onde morcegos, serpentes e escorpiões passam de um lado ao outro, onde o uivo de lobos é ouvido ao longe e o estilhar de galhos bem perto, como que se fossem quebrados pelos pés dos donos daqueles olhos amarelos que vemos no meio da escuridão, ora sim, ora não, sem nunca ter certeza, nos leve a um paraíso na terra, enquanto que o caminho de tijolos dourados forrado de flores, passarinhos felizes, debaixo de um arco-íris, não-gay, bom ressaltar, nos leve a um abismo escorregadio que nos fará cair num poço de piche incandescente, qual dos dois caminhos você tomaria de início?

Por que digo isto? É só uma gracinha, sem graça, para deixar registrado que você acaba de ganhar mais um leitor.

Postagens mais visitadas