A incrível diferença entre um agnóstico e um ateu

Parece óbvio para mim, porém...

Por Reinaldo Azevedo (em 06/05/2007)

”(...) Um agnóstico não encontra provas suficientes da existência de Deus; mas, lógico que é, sabe que não consegue provar a sua inexistência. No fundo, considera esse debate irrelevante. O ateu nega a existência de Deus de uma forma ativa. (...) Há aí a distância que separa a humildade intelectual virtuosa da prepotência, necessariamente viciosa. Um agnóstico não consegue ou não quer operar com instrumentos que não estão abrigados no escopo da razão científica; um ateu transforma a fé alheia num estigma e numa prova de uma limitação intelectual (...).

Um agnóstico poderia dizer: “Não tenho como dizer que Deus existe; acredite quem quiser”. A fala de um ateu é bem outra: “Deus não existe; acreditem em mim!” (...) Um agnóstico é um homem tolerante, como devem ser o bom católico, o bom protestante, o bom judeu, o bom muçulmano... Um ateu é um fundamentalista, a exemplo dos maus católicos, dos maus judeus, dos maus muçulmanos, dos maus protestantes.
Mais: observem que aqueles que se dizem “ateus” são, no mais das vezes, anticristãos e, particularmente, anticatólicos. Com alguma freqüência, aceitariam orientalismos variados, cultos exóticos — alguns se supõem até pagãos à moda antiga, helênicos (era uma religião, afinal). A agnosticismo é menos particularista e, com efeito, não considera relevante qualquer forma de transcendência. (...) Deus me parece grandeza demais para ser negada num auto de fé. O ateísmo militante é antes uma neurose, uma doença do espírito. (...)”

Comentários

João Batista disse…
Ah sim, tratar de política é difícil, agora Deus, ah, aí é fácil! Rsrs...
Anônimo disse…
Discordo totalmente. Quanto a mim, um ateu não é um ser prepotente ou arrogante. Aliás, a descrença em Deus é um sinal de humildade. Que somos nós mais do que os comuns animais? Somos mais inteligentes. E é somente essa característica que nos diferencia deles. O Homem não é criação de Deus. Deus é criação do Homem, da mente humana, bem como todas as religiões e superstições. A noção de existência de Deus parece-me, assim, absurda. E nos tempos em que vivemos, com tanta informação ao nosso dispôr, considero inacreditável como é possível existir tanta ignorância na comunidade mundial. Acredito, sim, na capacidade imensa do nosso cérebro, na prova, na evidência, na Ciência. A Ciência não tem todas as respostas. Ainda. Todavia, está a trabalhar nisso. Veja o que se tem descoberto só neste último século. E o facto de a Ciência não conseguir provar algo, não significa que outra coisa o fará. É uma ideia falaciosa. Se me provarem a existência de Deus, retiro tudo o que disse. Mas não acredito que se o fará. Visões divergentes, apenas isso. Um ateu simplesmente resigna-se à sua condição animal, à inexorabilidade da vida. Poderia escrever um texto enorme argumentando esta posição, mas não o vou fazer. Só não apreciei a conotação atribuída aos ateus. Não é justa e, acima de tudo, não corresponde à realidade.

(Passei neste blog por mero acaso, não necessita responder-me pois, provavelmente, não mais me lembrarei de regressar. Obrigado.)

André Santos, Portugal
Fernandinho disse…
Caro André

Normal não esperar a resposta. Mas mesmo assim eu respondo. Primeiro de tudo o texto não é meu, e sim do jornalista Reinaldo Azevedo. Sobre as idéias de outros autores, ler em http://arquitetandocaminhos.blogspot.com/2008/06/sobre-as-idias.html a minha opinião.

A respeito da sua opinião, nada mais é do que um “fundamentalista da ciência”, conforme indica o texto...

Fernandinho
acarlos disse…
Vamos falar de Deus. O que é? Uma força ou um ser? Um astro ou um Homem? Sei lá, só sei que acreditar em Deus ,ou não, não é sinônimo de ignorância. A ignorância é tudo aquilo que causa mal a si e/ou ao outro. Ela determina a destruição do sentido alheio e consequentemente a seu próprio sentido; pois sem sentidos contrários ao nosso, seria impossível nos determinarmos . O ignorante perde esse sentido. Ele menospreza o que é complexo/contrário de cada um e leva para o seu mundo, de modo irracional, suas interpretações inquebrantáveis. Temos que entender que o mundo tem muitas filosofias, idéias e valores que orientam nossos sentidos. Para isso, precisamos aprender que a vida tem muitos mistérios por aí. O respeito é a negação da ignorância. " ... nem tanto esotérico assim, se eu sou algo incompreensível, meu (D)deus é mais. Mistérios há sempre de pintar por aí..."Gilberto Gil.

Postagens mais visitadas