Síndrome da terceira via

É. Deve ser mesmo uma doença. E acho que o culpado foi o Paulo Maluf ou o José Serra. Quando descobrir qual deles eu juro que mando um e-mail. Depois deles eu acabo acreditando em qualquer terceira via. Agora acho que entre Globo e Record a terceira via é o SBT. Triste ilusão a minha.

Lembro-me daquela eleição de 1994, que o falecido médico e deputado, Enéas Carneiro, fora a terceira via. Teve mais votos que Leonel Brizola. E era a primeira vez que assistia a esse fenômeno, mesmo este sendo um caso de humor. Tiveram outros casos, claro, como a eleição de 1986, cujos candidatos Antônio Ermírio de Moraes e Paulo Maluf (sempre ele) foram superados pela então terceira via Orestes Quércia. Mas aquela época não era assim, como direi, uma real terceira via. Mas hoje está na moda a expressão. Antes era a era Mac e PC, agora o PC tem Linux e Windows... Que emoção!

Não consigo é acreditar que terceira via seja a solução para tudo, mas essa pluralidade traz uma boa reflexão. É uma forma de poder mostrar todos os pontos negativos de tudo, talvez uma forma até de não mostrar nada. Mas é bom para ver que nem tudo tem dois lados. E aqui cabe uma frase das melhores, cujo autor desconheço: “os inimigos dos meus inimigos não são meus amigos”. Deve ser essa a frase, mas se não for o sentido é este aí mesmo.

Uma vez uma amiga me falou uma frase: “Você atira para todos os lados no seu blog”. Não diria que é atirar, mas falo de tudo o que me interessa. Textos, televisão, política, arquitetura, futebol... Você me viu falando de religião em algum momento? Já até falei, mas o texto nem era meu. Não que não me interesse, mas estou longe de tratar da questão de forma objetiva. E esse negócio de só tratar de um assunto ou ter um blog para cada assunto é uma tremenda chatice (nada contra os amigos que fazem isso, mas eu não farei isso tão cedo, mesmo sabendo que é uma das formas de ser mais lido dentro desse universo de blogs). Para ser mais exato, os blogs que mais gosto não são específicos. Além do mais existem blogs com tempo de vida, como diários de viagem, que ficam marcados nas nossas mentes e são bons para rememorar aqueles momentos.

Eu até tenho um projeto de blog, seria algo como “eu tenho raiva de...” e lá mostraria minha ira que às vezes passo aqui. O detalhe que logo no começo falava para um amigo que não conseguia expor a minha raiva, que até deixava os textos guardados e nem publicava. E ele me disse para desencanar e soltar o verbo. Mesmo assim acho que sou até comedido. Quem sabe umas vezes, acho que até já comecei postagem com “hoje estou com raiva...”. Ou seja, tem de tudo. Mas opinião não falta principalmente a melhor de todas as opiniões: “eu não sei”. Se eu soubesse não estaria escrevendo, certo? Bem, “a dúvida é o preço da pureza” (assina essa, Jean-Paul Sartre).

Lembrei de uma aula, ano passado na pós-graduação, aonde o expositor, nem vou citá-lo nominalmente, começou a exposição dizendo ser ele um homem dos anos 1970, que ouvia Raul Seixas, e por isso é uma “metamorfose ambulante”. O interessante que o que ele disse foi meio bombástico, pois esperavam (os professores, principalmente) um seguidor convicto dos dogmas do movimento modernista... Não digo que sou uma metamorfose, mas acredito que a opinião é uma formação de aprendizado, não um chute. Ainda mais com minha mania de sistematizar tudo. Teve época da minha vida que achava a música uma formação matemática... E a fantástica professora da pós-graduação, em 2004, me alertou para que não caísse nesse erro, o de “matematizar” o mundo, pois isso é uma metodologia, não a realidade. Bem, deve ser matemática a terceira via... Inclusive, uma dúvida: a matemática foi inventada pelo homem ou é natural? Esta foi a questão mortal... A reflexão dela me acompanha até hoje. Imagine a hora que tiver uns alunos, vou deixá-los loucos, loucos!

Nota da postagem

O que o símbolo do Corinthians está fazendo nesta postagem? Nada, oras. É só para provar que nem tudo existe terceira via. Time é time. Só tem um. Aliás, no caso nem segunda (divisão).

Comentários

João Batista disse…
E eu que nem blog tenho e já recebi a visita agradável de um patrulheiro petista? Já pensou? Eu faço um blog bonitinho, consigo uns quatro leitores, talvez cinco, e vem o petralha me emporcalhar? Cruz credo! Se blog fizer, será escrito em Inglês ou Italiano para petralha nenhum entender.

Postagens mais visitadas