Inspiration...

Yngwie Malmsteen gravou no ano de 1996 um álbum interpretando várias músicas de outras bandas e músicos, chamando este trabalho de Inspiration. Não à toa neste trabalho temos musicas de Jimi Hendrix, Deep Purple, Rainbow, Rush e Kansas, todas bandas que o autor diz serem suas maiores influencias em entrevistas. Acho extremamente transparente este disco, justamente por ter interpretado musicas bastante conhecidas como Child in Time e Mistreated. Logicamente este disco teve certa crítica, já se falando que seu repertório e seu estilo já estavam desgastados, e que este disco era praticamente o fim de sua carreira.

Bem, após este disco Malmsteen gravou mais oito álbuns, sendo um com orquestra, outro tocando ao vivo com Steve Vai e Joe Satriani, mantendo uma banda estável por pelo menos sete anos (entre 2001 e 2007). E recentemente acaba de lançar mais um álbum, em outubro de 2008, que ainda não tive a oportunidade de escutar. Pode-se dizer que mudou um tanto de seu estilo, ficando seu som mais pesado e menos trabalho instrumental. Sua inspiração deve continuar sendo praticamente a mesma, talvez com algumas adições. Tive o prazer (para ele nem tanto) de encontrá-lo mais de uma vez fora do palco e continuo a nutrir certo prazer em ouvi-lo tocar.

Em sua ultima apresentação, São Paulo em 2007, me deu impressão de um show muito melhor – e com a mesma banda de acompanhamento – que o show de 2001, mesmo com o problema já identificado em 2001, de perder muito dos arranjos de certas músicas por necessitarem de backing vocals. Acredito que Yngwie Malmsteen é o músico estrangeiro que mais assisti até hoje. O primeiro show foi em 1996, tendo assistido os dois dias de sua passagem por São Paulo, como da mesma forma em 1998, tendo ainda participado de workshop e noite de autógrafos nos dias que antecederam suas apresentações que culminaram no lançamento de um disco ao vivo.

Tenho estado afastado de shows de outros músicos e bandas nos últimos anos, afinal, não dá para participar de tudo. Mas tenho acompanhado o percurso de certas bandas. Algumas se separaram e seus integrantes formaram trabalhos ruins, assim como poucas novas bandas me chamaram a atenção. Hoje não tenho qualquer envolvimento com o meio musical, praticamente tenho só escutado trabalhos novos de bandas que já gostava muito e mesmo assim, comprando cd´s raramente. O que é interessante é que tenho escutado muitos outros tipos de música e continuo a me refugiar naquilo que conheci na minha adolescência.

Talvez um dia possa fazer uma análise mais profunda do porque gosto mais de escutar Malmsteen a escutar outros guitarristas e uma dica já tenho hoje: é por ser um músico com inspiração ocidental. Não que não goste de vários dos orientalismos presentes nas músicas de Steve Vai ou mesmo em alguns discos de Martin Friedman, mas não é o mesmo de escutar a atual banda de Ritchie Blackmore ou mesmo Malmsteen. Influencias... Inspiração... Preferências...

Comentários

Postagens mais visitadas