Essas mulheres...

Gene Simons - Kiss - Infelizmente não achei as botas...
Feriado, meio cara de domingo. O que não me deixou muito alegre, pois muitos serviços deixaram de funcionar e os que funcionaram atenderam muito mal, como a VIVO, pior que o de costume que já não é grande coisa. Mas o passeio pelo shopping, atrás dos serviços e não de compras, teve um lado positivo. Estava razoavelmente cheio e muitas mulheres com o mesmo visual, short e chinelos tipo havaianas. Nem estava um dia lá muito quente para tal, mas havia muitas delas com esse visual. Me agrada, muito, essa idéia do chinelo. E acredito que o uso deles deveria ser maior, afinal estamos num país tropical. O fato que a seriedade de São Paulo não deixa acontecer certas coisas. Na verdade as pessoas são retas demais. Isso me irrita um pouco. Retas demais e mal educadas, o que dá uma combinação esdrúxula. Algo como as “peruas” da Oscar Freire, sem dinheiro, que aproveitam a vida coletiva, no que ela pode ser coletiva, para ser um tanto esnobe naqueles minutos em que estão “agindo coletivamente” para tentar ser por este período confundida com uma “perua” rica. O fato que a verdadeira perua rica estaria mesmo na Oscar Freire, e num dia como o de hoje, muito longe de algum shopping lotado de “suburbanos”.

Não digo que as meninas de chinelas seriam suburbanas, não. Mas poderiam ter aquela simpatia típica das garotas das praias cariocas, por exemplo. A cara séria e a atitude de “socialite” são de certa forma uma mesmice que a mulher paulista precisaria se livrar. Como é estranho ver as paulistinhas fora do seu habitat, se dando mal em meio a um outro tipo de mulher... Exemplo típico são aquelas invasões paulistas em Florianópolis. Os homens vão para lá com, digamos, certo motivo até (além das belezas naturais das praias), mas as paulistinhas... Parecem peixes fora d´água. Desde a falta de senso de que numa festa em Florianópolis se vai vestido da mesma forma que uma festa em São Paulo, mas sei lá por que, os paulistas de forma geral, sempre vão muito mais a vontade. Seria algo mais ou menos de estar na praia, então, roupa de praia para todas as ocasiões.

Esse tipo de crônica de observação me faz pensar em como são todas aquelas meninas que estavam de chinelas. Algumas estariam assim porque é feriado só ou será que andariam assim depois do expediente de trabalho? Seria “fashion” ir ao shopping no feriado de chinelinhos? Que mal há em sair por volta das cinco da tarde, trocar aqueles sapatinhos bicudos por chinelos e dar uma passeada no shopping com os pés à vontade? Não. Isso seria querer ser europeu demais. Aqui ninguém anda com um chinelo no carro. Imagina andar de bicicleta depois do trabalho, então. Seria o caso de tomar um banho, vestir-se de “mega-atleta”, com suas calças legs e tênis nike, sempre com um agasalho amarrado à cintura para que os homens não olhem para seus traseiros, e ai sim, estariam prontas para uma voltinha de meia hora de bicicleta. Entopem as academias em vez de curtir por algum tempo o parque, numa caminhada de chinelo, depois do expediente. Aliás, andar é algo que não consta no “manual de ser Patricinha”. O pior que sou até certo ponto entusiasta desse estilo “paty” de ser... Visualmente entusiasta.

Mas voltando ao shopping, com as garotas de chinelas, diria que são muito melhores que aqueles sapatos plataforma. Aquelas bases de borracha ou madeira, que parecem ser fãs da banda Kiss... (Para ser mais exato de Gene Simons). Tem certas coisas horrorosas visualmente nos pés das mulheres, que após meu questionamento, escuto ser “extremamente confortável”. É. Um coturno para um soldado é confortável também... Elas pisam tortas (e nem sentem que fazem isso) e acham “normal”, igual aos outros sapatinhos... Prefiro os chinelinhos...
Também temos que avaliar certos pés. Algumas mulheres deveriam ir para praia e piscina com meias... Biquíni e meias. Expor só o que interessa... A academia não é lugar para beleza e sim de trabalho. Lá se tem que suar a camisa e malhar muito, e a roupa velha é a mais confortável. Acho que estas garotas de chinelinhos vão à academia com os tênis tinindo de branquinhos, que a empregada tratou de deixar. Deve ser por isso que não caminham na rua, pois podem sujar os pezinhos...

Acho que estou esperando muito dessas mulheres. Mas mesmo assim, não sendo menos retas da forma que me agradaria, continuam sendo maravilhosas. O que me faz entender (quase nada) por que mulheres não se importam tanto com a beleza de seus parceiros. Elas realmente enxergam a “beleza interior”. Deve ser isso.

Comentários

Lucas Truta disse…
Caraca meu... deixa eu contar. fui no google imagens procurar "gene Simons", acho, não lembro bem, que a primeira imagem da lista q apareceu foi a tua. abri e fui ver do que se tratava o texto.
Putz...Muito bacana "Essas Mulheres..."
"Na verdade as pessoas são retas demais. Isso me irrita um pouco. Retas demais e mal educadas, o que dá uma combinação esdrúxula. Algo como as “peruas” da Oscar Freire, sem dinheiro, que aproveitam a vida coletiva, no que ela pode ser coletiva, para ser um tanto esnobe naqueles minutos em que estão “agindo coletivamente” para tentar ser por este período confundida com uma “perua” rica. O fato que a verdadeira perua rica estaria mesmo na Oscar Freire, e num dia como o de hoje, muito longe de algum shopping lotado de “suburbanos”."
ilário isso. hehehe...
Tu escreve pacas.
Colocarei o "arquitetando caminhos" nos preferidos do meu. O link estará lá. tenho permissão??
abço,
Lucas truta

Postagens mais visitadas