Eu e os jornalistas...

Mariana Ferrão

Nesta tarde, no SPTV, assisti a repórter Mariana Ferrão. Nem sabia que havia saído da Rede Bandeirantes. Como sempre digo, uma boa repórter vai para uma boa televisão... Nada contra a Rede Bandeirantes, mas o jornalismo de lá não anda muito atrativo... Ou melhor, anda atrativo para certo “grupinho”... Que não me interessa...

Mas voltando a Mariana, era com certeza uma das melhores apresentadoras do jornalismo da Rede Bandeirantes. Além de muito bonita, claro, é muito inteligente. Já a vi cobrindo desde jogos até eleições, trabalhando muito bem ao vivo.

Letícia Levi

Além de Mariana Ferrão, a agora ex-apresentadora do Band News, Letícia Levi está trabalhando agora na Rede Record. Desta forma não vai ficar ninguém para dar tchau ao Fernando Mitre... Tempos atrás foi Maria Cristina Poli, que apresentava uma programa maravilhoso dentro daquele micro-ônibus no Canal 21, que fazia parte do Grupo Bandeirantes. Hoje está na Rede Globo, no Fantástico. Letícia também já apresentou o programa de esportes na Bandeirantes.

José Hamilton Ribeiro

Um mestre. Não tenho como conter elogios a José Hamilton Ribeiro. Sempre gostei muito dele em sua simplicidade e depois ao saber de toda sua carreira isso me impressionou mais ainda. Estava assistindo, também neste sábado, na TV Senado um programa em que ele era o convidado. Neste programa se falou de tudo, desde seu início de carreira passando pela perda de sua perna no Vietnã em 1968. Com um papo muito bom, chegou a falar algumas verdades inquestionáveis, mostrando toda sua independência jornalística e muito de sua vivência. A questão que mais me empolgou foi sua resposta, extremamente esclarecedora, sobre qual a diferença entre a guerra do Iraque e a do Vietnã. Só por isso já teria valido a pela a entrevista...

Maria Cândida

Não sei por que implico tanto com ela. Não gosto dela. Não gosto de seu trabalho. Mas como sou uma pessoa com dúvidas, peço ajuda aos “universitários”. Estava ela neste sábado no programa do Amauri Jr. como convidada, ou eram melhores momentos. Bem, o que vi foi uma pessoa que fala bem inglês, por isso se deu bem. Mas, além disso, ela é uma apresentadora pop. Uma futura Hebe, talvez. Eu diria que está muito longe de ser um Zeca Camargo, que é tudo que ela gostaria de ser. Agora, o que mais me chamou a atenção, e é só por isso que eu a coloquei nesta postagem, trata da questão que ela levantou: que existe um espaço para uma comunicadora que estaria entre a Hebe e uma jornalista formal. O que eu acho pior nela é que ela se acha mais bonita do que é. Eu a acho muito feia... Sem contar que eu acho a voz dela irritante...

Para finalizar: Marcelo Rezende

Assistindo ao Observatório da Imprensa (e dessa vez, assim como no caso de Letícia Levi não foi neste sábado de sol maravilhoso), sobre o caso da menina Isabela Nardoni, o jornalista Marcelo Rezende deu aula aos “patrulheiros” da imprensa. Já sabia de seu grande profissionalismo, mas ali deu para perceber que ele vai mais além do parece. Muito além. Eu diria que engoliu os outros participantes (que, na verdade além de Alberto Dines, não eram ninguém que eu me lembre) com argumentos e fatos devastadores.

Poderia falar de mais alguns jornalistas, como Alexandre Garcia e outros que tenho link indicado ao lado. Esse tópico surgiu quando comecei a escrever sobre a Mariana Ferrão e há tempo queria falar dos outros jornalistas. Eu tenho um pouco de restrição a certo tipo de jornalista, principalmente daquele que gosta de ser o centro das atenções. Muito mais jornalistas me desagradam e são poucos os que eu gosto de ler. Detesto jornalista que tem críticas de momento e pouca memória. E detesto ainda mais aqueles que mudam de opinião quando lhe é conveniente. Eu acho que falta um pouco de engenharia na formação de alguns jornalistas. Aliás, isso eu falo para muita gente de inúmeras profissões da área de humanidades. Sem contar aqueles jornalistas de botequim, que mal sabem interpretar um número dentro de uma tabela... E para finalizar, jornalista não precisa ter “diplominha” de jornalista para ser bom. Tem é que escrever bem.

Comentários

Zé Eduardo disse…
Prezado Fernandinho,

Vc, com certeza, é a minha alma gêmea, a expressão de meus pensamentos, sintonia total.
Vc analisa com precisão absoluta o panorama da tv brasileira e ao elogiar jornalistas como esses citados, apresentadores como Serginho, otaviano, programas da Cultura, etc e tal, vc presta um grande serviço ao telespectador.
Parabéns!!!!

Postagens mais visitadas