setembro 06, 2014

Seis segundos de atenção

Humberto Gessinger, o eterno baixista do Engenheiros do Hawaii (para que escrever está apresentação? Todo mundo sabe quem é o Humberto Gessinger), lançou em 2013 mais um livro, Seis Segundos de Atenção. São crônicas e letras de músicas, princialmente de seu último disco Insular. Bem que gostaria de falar de Insular, mas nunca escutei... (Que tipo de fã é este que lê o livro, mas não escuta o novo cd?)

O livro mescla crônicas sem uma organização temática, aliás como também é Nas Entrelinhas do Horizonte, seu livro de 2012, e são de forma geral provenientes de seu blog, que atualiza sempre que a segunda-feira se transforma em terça-feira.

Mas falar de um Gessinger escritor é para mim mais que uma alegria. O Gessinger músico conheci em 1989, quando escutava no rádio suas músicas - de já alguns anos, porém, novas para mim naquele momento. E imaginava o que ele lia para conseguir escrever aquelas letras. Mas na entrada dos anos 1990 que ele se tornou uma referência para mim. Era ouvir Rush, Pink Floyd e, claro, Beatles e Rolling Stones por culpa de Gessinger. Hoje em dia acho que só Rush permanece na minha trilha sonora (aliás, nunca saiu). E na época dos álbuns Várias Variáveis e GLM tive o prazer de assistir vários shows e até tentar participar de um Programa Livre – na época com Serginho Groisman.

Agora, o Gessinger escritor eu não acompanhei o comecinho, com o Meu Pequeno Gremista, livro infantil de uma série, cujo Meu Pequeno Corintiano foi escrito por Serginho Groisman e Meu Pequeno São-Paulino por Nando Reis. Depois vieram os autobiográficos Pra ser Sincero, de 2010 e Mapas do Acaso, de 2011. Todos trazem muitos assuntos variados e dá para dizer que há um escritor ali, e eu aqui, esperando mais um livro. Só o que realmente me irrita é a repetição – mas como diz Luiz Felipe Pondé em A Filosofia da Adultera, que sem se repetir, sou um nada – e a organização temática. Mas isso não é problema do Humberto; é meu mesmo.

Nenhum comentário: